Leitura

As fronteiras da ansiedade: quando algo motivador pode virar um transtorno

Quem nunca enfrentou momentos de ansiedade? Há horas na vida em que é comum ficarmos em alerta para enfrentarmos alguma situação inesperada ou desconhecida. E isso nos motiva, nos move. Entretanto, a ansiedade passa a ser patológica quando esse sentimento começa a atrapalhar a rotina diária e a qualidade de vida¹.

 

Nos últimos anos, os transtornos de ansiedade vêm ganhando cada vez mais notoriedade. Em fevereiro de 2017, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou uma pesquisa² sobre as duas doenças psiquiátricas mais comuns que afetam a população mundial: transtornos depressivos e de ansiedade. De acordo com o levantamento, o Brasil é líder mundial em prevalência de transtornos de ansiedade e ocupa o quinto lugar em taxas de depressão.

 

Recentemente, o Ministério da Saúde conduziu um estudo para avaliar a saúde mental dos brasileiros. A primeira etapa foi realizada nos meses de abril e maio de 2020, primeiros meses da pandemia de Covid-19, com mais de 17 mil pessoas. O resultado mais alarmante foi que 86,5% dos entrevistados estavam enquadrados em algum tipo de ansiedade patológica³.

 

O que é transtorno de ansiedade

 

Esse transtorno mental é caracterizado por preocupações ou medos exagerados sobre questões do dia a dia ou do futuro. Além disso, há uma sensação constante de que algo ruim vai acontecer. 

O quadro também pode desencadear muitas manifestações físicas, como sudorese, palpitação, insônia, tremores, boca seca, dor de cabeça e tonturas.

 

Portanto, a ansiedade, assim como os demais transtornos mentais, influencia diretamente na interação social, no desempenho profissional, nas relações afetivas, dentre muitos outros aspectos da rotina.

 

Reconheça os sintomas

 

1 - Preocupações, tensões ou medos exagerados (a pessoa não consegue relaxar);

2 - Sensação contínua de que um desastre ou algo muito ruim vai acontecer;

3 - Preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho;

4 - Medo extremo de algum objeto ou situação em particular;

5 - Medo exagerado de ser humilhado publicamente;

6 - Falta de controle sobre os pensamentos, imagens ou atitudes, que se repetem independentemente da vontade;

7 - Pavor depois de uma situação muito difícil.

 

 

Estratégias para enfrentar a ansiedade

 

Algumas atitudes são capazes de ajudá-lo a retomar sua qualidade de vida. Respire fundo, relaxe e leia cada item com muita atenção.4  Lembre-se sempre de que você não está sozinho nessa batalha!

 

1 - Dedique-se a atividades gratificantes, como brincar com seu filho, ouvir música, pegar papel e caneta para soltar a criatividade, assistir filme ou série e praticar exercício físico da forma que seja possível;

 

2 - Incentive que todos da família e amigos tenham momentos para si mesmos, como meditação, leitura e relaxamento individual. Poucas pessoas têm consciência que, para uma boa saúde física, é fundamental manter o cérebro saudável; 

 

3 - Depois de tanto tempo de isolamento social, procure falar de diferentes assuntos, seja por telefone, videochamadas e, quando se sentir seguro, esteja próximo das pessoas fisicamente;

 

4 - Fuja das fake news! Suas decisões devem ser baseadas em fontes confiáveis de informações e diretrizes - como aquelas que vêm de instituições acadêmicas ou de fontes governamentais;

 

5 - Evite o consumo de álcool em excesso e/ou o uso de drogas ilícitas;

 

6 - Mantenha bons hábitos de sono. Evite telas iluminadas na última meia hora antes de dormir, assim como bebidas com cafeína à noite;

 

7 - A alimentação saudável é um ponto importante; portanto, elabore um cardápio balanceado. 

Referências:

1- Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde. Disponível em https://bvsms.saude.gov.br/bvs/dicas/224_ansiedade.html. Acesso em 29/07/2021 

 

2- "Brazil: world leader in anxiety and depression rates".  Disponível em https://www.scielo.br/j/rbp/a/jjM7cWBqDBZQpwwcyyGG8tJ/?lang=en. Acesso em 29/07/2021 


3- Ministério da Saúde, resultado pesquisa Saúde Mental na Pandemia. Disponível em https://antigo.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/47527-ministerio-da-saude-divulga-resultados-preliminares-de-pesquisa-sobre-saude-mental-na-pandemia. Acesso em 29/07/2021

 

4- Instituto e Departamento de Psiquiatria Faculdade de Medicina da USP. Disponível em: https://www.ipqhc.org.br/wp-content/uploads/2020/05/Psiquiatria-Infantil-COVID19.pdf. Acesso em 28/07/2021


PP-PCU-BRA-0738 - agosto/2021