O que é TEV?


O tromboembolismo venoso (TEV) é a formação de um coágulo de sangue, também chamado de trombo, que começa em uma veia profunda. Existem dois tipos de tromboembolismo venoso:1,2,3

Trombose Venosa Profunda: mais comum, acontece nos membros inferiores.3

Embolia pulmonar: quando o coágulo sai das pernas, viaja pela circulação e atinge o pulmão.3

Ambas podem ser prevenidas e são tratáveis. Para se ter uma ideia, o TEV é a principal causa evitável de mortalidade em pacientes hospitalizados no Brasil. Por esse motivo, é importante conhecer as condições que trazem maior risco para que possam ser revertidas ou amenizadas.4,5

Fatores de risco

O tromboembolismo venoso afeta homens e mulheres de todas as raças, idades e etnias, mas algumas situações podem fazer com que uma pessoa tenha maior risco de ter algum problema:?6

Se você ou alguém próximo se encaixa em algum desses fatores, pergunte ao médico sobre como fazer tratamentos de prevenção para o tromboembolismo venoso.6

Importante: a hospitalização por qualquer motivo aumenta o risco, portanto, as pessoas no hospital também devem perguntar sobre prevenção.6

Fatores adicionais

Antes de falarmos outros fatores, é importante ressaltar que, isoladamente, eles não são suficientes para justificar medidas preventivas para TEV, mas se há uma combinação de dois ou mais fatores, é importante ficar atento e conversar com o seu médico sobre o tipo e a duração do tratamento de prevenção.6

Prevenção

Para prevenir o tromboembolismo venoso de maneira geral, as recomendações são:4,9

  • Praticar atividades físicas regularmente; 
  • Manter o peso corporal adequado; 
  • Ter uma alimentação saudável; 
  • Não fumar; 
  • Movimentar-se ao longo do dia. 
  • Em situações que seja necessário ficar sentado(a) por muito tempo, movimente os pés como se estivesse utilizando uma máquina de costura. 
  • Quando estiver em pé parado, mova-se discretamente como se estivesse andando sem sair do lugar. 
  • Antes de viagens longas, fale com seu médico sobre a possibilidade de usar alguma medicação preventiva. 
  • Se estiver acamado, faça movimentos com os pés e as pernas. 

Agora, para pessoas que estão em tratamento de câncer, realizaram alguma cirurgia, estão hospitalizadas por qualquer motivo ou utilizam algum medicamento que aumenta o risco para trombose, é importante ficar mais atento4,10,11

Nesses casos, é essencial tomar a iniciativa e conversar com o seu médico sobre as medidas necessárias para prevenir a formação de coágulos, que podem variar entre heparinas injetáveis e anticoagulantes orais. Lembrando que cada caso deve ser avaliado individualmente.4,10,11,12

Sinais e sintomas

Como você já viu lá no início, o tromboembolismo venoso inclui trombose venosa profunda e embolia pulmonar e cada uma delas tem sinais e sintomas que podem ser diferentes. 

Trombose Venosa Profunda

A TVP afeta principalmente as grandes veias da parte inferior da perna e da coxa, quase sempre em um lado do corpo de cada vez. O coágulo pode bloquear o fluxo sanguíneo e causar:7  

  • Dor nas pernas ou sensibilidade da coxa ou panturrilha; 
  • Inchaço nas pernas;
  • Pele que se sente quente ao toque; 
  • Descoloração avermelhada ou listras vermelhas 

Embolia Pulmonar

A EP pode ser fatal e ocorre quando a TVP se liberta da parede de uma veia e bloqueia parte ou todo o suprimento de sangue para os pulmões, causando:7

  • Falta de ar inexplicável; 
  • Respiração rápida 
  • Dor no peito em qualquer lugar sob a caixa torácica (pode ser pior com a respiração profunda);
  • Frequência cardíaca rápida;
  • Tontura ou desmaio.

Diagnóstico

O primeiro passo que o médico deve tomar para diagnosticar o tromboembolismo venoso é avaliar se o paciente corre riscos aumentados de sofrer tromboembolismo venoso.4

Depois, ele pode realizar o exame clínico, mas como os sintomas nem sempre são aparentes, é preciso realizar outros exames para o diagnóstico correto, como ultrassons, tomografias, ressonâncias magnéticas, exame de sangue e cintilografia pulmonar.4,7 

Outros exames, como o raio-x, podem ser realizados para excluir outros diagnósticos para se adequarem às condições clínicas do paciente.4

Tratamento

Assim que o diagnóstico é confirmado, é muito importante iniciar o tratamento indicado pelo médico imediatamente para impedir o crescimento e/ou a migração do coágulo para outras regiões do corpo e reduzir as chances de recorrência da trombose e da síndrome pós-trombótica.? 4,8

Seu médico pode receitar o uso de anticoagulantes, conhecidos como enoxaparina sódica, que fazem a diluição do sangue e previnem os coágulos, ou também medicamentos trombolíticos, que dissolvem os coágulos já existentes.4

Dependendo do caso, pode ser que seja necessária uma cirurgia para inserir, na veia, um filtro que impede os coágulos de chegarem aos pulmões.4

Também vale conversar com o seu médico sobre o uso das meias de compressão, que são indicadas para prevenir tromboses e reforçar o tratamento com medicamentos pois aumentam o fluxo de sangue nos membros inferiores.4 

Prevenção do tromboembolismo venoso

Para prevenir o tromboembolismo venoso de maneira geral, as recomendações são:4,9

  • Praticar atividades físicas regularmente; 
  • Manter o peso corporal adequado; 
  • Ter uma alimentação saudável; 
  • Não fumar; 
  • Movimentar-se ao longo do dia.
  • Em situações que seja necessário ficar sentado(a) por muito tempo, movimente os pés como se estivesse utilizando uma máquina de costura.
  • Quando estiver em pé parado, mova-se discretamente como se estivesse andando sem sair do lugar.
  • Antes de viagens longas, fale com seu médico sobre a possibilidade de usar alguma medicação preventiva.
  • Se estiver acamado, faça movimentos com os pés e as pernas. 

Agora, para pessoas que estão em tratamento de câncer, realizaram alguma cirurgia, estão hospitalizadas por qualquer motivo ou utilizam algum medicamento que aumenta o risco para trombose, é importante ficar mais atento.4,10,11

Nesses casos, é essencial tomar a iniciativa e conversar com o seu médico sobre as medidas necessárias para prevenir a formação de coágulos, que podem variar entre enoxaparina sódica injetáveis e anticoagulantes orais. Lembrando que cada caso deve ser avaliado individualmente.4,10,11

Saiba mais

Referências

1. Ministério da Saúde. Biblioteca Nacional em Saúde. Hemofilia. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/hemofilia/. Acesso 18/08/2023.
2. Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular Regional São Paulo. Doenças Vasculares. Trombose Venosa Profunda. Disponível em: https://sbacvsp.com.br/trombose-venosa-profunda-tvp/. Acesso 18/08/2023.
3. American Heart Association. What is Venous Thromboembolism (VTE)?. Disponível em: https://www.heart.org/en/health-topics/venous-thromboembolism/what-is-venous-thromboembolism-vte. Acesso 18/08/2023.
4. dos Santos VitorI, Simone Karine; DaouII, Julia Pozzetti; de GóisII, Aécio Flávio Teixeira. Prevenção de tromboembolismo venoso (trombose venosa profunda e embolia pulmonar) em pacientes clínicos e cirúrgicos. 2016. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1413-9979/2016/v21n2/a5583.pdf. Acesso em 18/08/2023 
5. Curtarelli, Arthur et al. Profilaxia de tromboembolismo venoso, podemos fazer melhor? Perfil de risco e profilaxia de tromboembolismo venoso em Hospital Universitário do interior do Estado de São Paulo. Jornal Vascular Brasileiro [online]. 2019, v. 18. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jvb/a/rYh5qSTvHXpbRFpgPFGSTfm/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 18/08/2023.
6. American Heart Association. Risk Factors for Venous Thromboembolism (VTE). Disponível em: https://www.heart.org/en/health-topics/venous-thromboembolism/risk-factors-for-venous-thromboembolism-vte. Acesso em 18/08/2023.
7. American Heart Association. Symptoms and Diagnosis of Venous Thromboembolism (VTE). Disponível em: https://www.heart.org/en/health-topics/venous-thromboembolism/symptoms-and-diagnosis-of-venous-thromboembolism-vte#:~:text=VTE%20includes%20deep%20vein%20thrombosis,that%20require%20immediate%20medical%20attention. Acesso em 18/08/2023.
8. RIZZATTI EG & FRANCO RF. Tratamento do tromboembolismo venoso. Medicina, Ribeirão Preto,34: 269-275, jul./dez. 2001. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/4130/5033. Acesso em 18/08/2023.
9. Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular Regional da Bahia. Trombose Venosa Profunda (TVP). Disponível em: https://sbacvba.com.br/perguntas/trombose-venosa-profunda-tvp/. Acesso em 18/08/2023
10. Comissão Nacional De Incorporação De Tecnologias No Sistema Único De Saúde (CONITEC). Ministério da Saúde atualiza protocolo para prevenção de tromboembolismo venoso em gestantes. Disponível em: http://conitec.gov.br/ultimas-noticias-3/ministerio-da-saude-atualiza-protocolo-para-prevencao-de-tromboembolismo-venoso-em-gestantes. Acesso em 18/08/2023.
11. Comissão De Circulação Pulmonar Da Sociedade Brasileira De Pneumologia E Tisiologia. Jornal de Pneumologia 26 (3), Jun 2000. Recomendações para a prevenção do tromboembolismo venoso. Disponível em: https://www.scielo.br/j/jpneu/a/H5dBgnqGqxtz5kQMJWmFMVv/?lang=pt. Acesso em 18/08/2023.
12. HEPTRIS®[Bula]. Mylan Laboratórios Ltda.; 04 de abril de 2021. Disponível em: https://www.mylan.com.br/-/media/mylancombr/documents/products/1_bula_paciente_heptris_ar.04.04.21.pdf?la=pt-br. Acesso em 18/08/2023.

Material para todos os públicos.
NON-2023-7877 - Agosto/2023