Leitura

É preciso tomar remédios para baixar o colesterol?

Quando se descobre que tem colesterol alto, uma das principais dúvidas que vem à mente do paciente é: eu preciso ou não tomar remédios? A resposta depende muito do seu caso clínico. O seu médico vai analisar o seu quadro para entender se há a necessidade ou não de começar um tratamento com remédios. Confira alguns fatores que podem afetar a taxa de colesterol ruim no organismo.


Mudança do estilo de vida

Primeiramente, é necessário mudar a alimentação e investir em exercícios físicos, pois os remédios são uma solução complementar no combate ao colesterol.


Risco cardiovascular do paciente

Se o risco de sofrer algum acidente cardiovascular for considerado de baixo a médio, provavelmente serão propostas mudanças no cotidiano em um primeiro momento e, depois, uma associação com medicamentos, se necessário. O tempo de reavaliação após as primeiras modificações no cotidiano varia entre três e seis meses, conforme a orientação do seu médico.

Agora, se esse risco for considerado alto, podem ser receitados medicamentos que já estejam conectados com a mudança de hábitos proposta pelo médico.


Tipo de colesterol presente

No caso de hipercolesterolemia isolada, recomenda-se o uso de estatinas, ezetimiba, à colestiramina e, dependendo do caso, associadas aos fibratos ou ao ácido nicotínico. As principais substâncias e os respectivos medicamentos associados ao tratamento do colesterol são:


Estatinas

A estatina é usada para diminuir os riscos de acidentes cardiovasculares e inibir a produção de colesterol no fígado.


Ezetimiba

Já as ezetimibas inibem a ação do colesterol que fica nas bordas do intestino delgado, pois atuam seletivamente nos receptores NPC1-L1, proteínas que levam o colesterol às células, o que limita o transporte da substância por todo o intestino.


Resinas

As resinas são medicamentos que reduzem a absorção intestinal dos ácidos biliares no organismo (por isso, também são conhecidas como sequestradoras de ácidos biliares).

No caso, os ácidos são produzidos no fígado a partir do colesterol. Os medicamentos atuam de forma que estimulam que o colesterol presente no fígado seja transformado em mais ácidos biliares para compensar a sua diminuição em nosso corpo.


Fibratos

Os fibratos são derivados do ácido fíbrico e atuam na inibição de produção do LDL, um dos colesteróis considerados ruins, além de aumentarem os índices do HDL, o colesterol bom.


Ácidos nicotínicos

Eles causam a menor liberação de ácidos graxos na corrente sanguínea. Na prática, isso causa a diminuição na emissão de triglicérides pelo fígado, o que também implica aumento do bom colesterol e diminuição do mau colesterol no organismo.


Os medicamentos são prescritos pelo seu médico, de acordo com a necessidade específica do seu corpo. Não se esqueça de conferir suas taxas de colesterol no organismo para melhor controle.


Referências

https://www.scielo.br/j/abc/a/whBsCyzTDzGYJcsBY7YVkWn/?lang=pt&format=pdf

https://www.tuasaude.com/remedios-para-baixar-o-colesterol/

https://www.siicsalud.com/pdf/Ezetimiba_e_colesterol.pdf

 

PP-PCU-BRA-0857-OUT/2021