Leitura

A importância da telemedicina durante e após a pandemia

Apesar de todos os malefícios gerados pela pandemia https://programasecuida.com.br/blog/como-lidar-com-stresse-e-o-luto-relacionado-a-pandemia , algo importante e bom surgiu em meio a tudo: a telemedicina. Autorizada durante esse período difícil, esse formato levou a inúmeras pessoas um cuidado, muitas vezes, extremamente necessário.

Para o futuro, é possível imaginar a solução como uma integradora de serviços, para facilitar e atuar de forma preventiva em diferentes casos. Além disso, poderá ser feita de diversas formas, como médicos, pacientes e provedores da tecnologia desejarem.

 

Sobre a telemedicina

No Brasil, esse modelo foi aprovado em termos de assistência, pesquisa, prevenção de doenças e lesões e promoção de saúde, considerando especialmente a pandemia. Por ser um método de realização de serviços médicos, mediados por tecnologias, é uma prática que precisa estar de acordo com as recomendações dos órgãos competentes para garantir a você, usuário:1,2

·        segurança;

·        privacidade;

·        garantia de confidencialidade;

·        autenticidade.

 

Como acontece uma teleconsulta?

Após o cadastramento do paciente, devem ser aceitos termos de cada plataforma, caracterizando não só uma simples videochamada, mas também atendimento médico.

A qualidade de todo o processo é garantida pelo médico, podendo solicitar autoexames e algumas manobras supervisionadas por ele, como um complemento.

 

Quais são os principais cuidados durante uma teleconsulta?

1.     Ambiente com boa iluminação e pouco ruído no local, com vestuário formal.

2.     Câmera ligada para que todos os aspectos sejam analisados.

3.     Tranquilidade durante a chamada, com poucas interrupções.

 

Para a realização desse atendimento, que se tornou tão importante, é preciso alguns cuidados também técnicos, como termo de consentimento informado, formulários, prontuário, guias para prescrição, sumário do teleatendimento, armazenamento de dados e remuneração do profissional.

Para saber um pouco mais sobre todos esses detalhes, você pode conferir o material base para este blog, o "Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia no Brasil", produzido pela Upjohn, uma divisão Pfizer, em parceria com o Instituto de Ciências Integradas.

 

Qualquer dúvida sobre essas novas formas de atendimentos, lembre-se sempre de conversar com seu médico. Se cuida!

 

Referências bibliográficas: 1. Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). OMS divulga primeira diretriz sobre intervenções de saúde digital. 2019 Abr 17 - [citado 2019 Dez 19]. Brasília, (DF): Opas. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5914:oms-divulga-primeira-diretriz--sobre-intervencoes-de-saude-digital&Itemid=844#:~:text=A%20diretriz%20enfatiza%20a%20import%C3%A2ncia,todo%20o%20sistema%20de%20sa%C3%BAde. 2. Conselho Federal de Medicina. Código de Ética Médica: Resolução CFM, nº 2.217, de 27/ 09/2018. Aprova (27 set, 2018). [citado 2019 Abr 30]. Disponivel em: https://portal.cfm.org.br/images/PDF/cem2019.pdf. Acesso em: 2 de jun 2021.

Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia no Brasil. Disponível em: https://www.guiasaudemental.com.br/   Acesso em: 2 de jun 2021.

 

 

PP-ZOL-BRA-0132 - maio/2021