Leitura

O que é cateterismo, para que serve e como é feito. Saiba mais!

Apesar do aprimoramento das práticas de diagnóstico de doenças vasculares devido aos avanços tecnológicos e investimentos na área, muitos estudos ainda apontam que a maioria dos pacientes que são submetidos a eles não possuem total conhecimento e compreensão de como funcionam, como no caso do cateterismo cardíaco. 1

Essa falta de conhecimento, algumas vezes, pode desencadear quadros de ansiedade e medo antes da realização do procedimento, por isso, é importante buscar informações relacionadas ao cateterismo, para que ele serve e como funciona o processo, permitindo que essas inseguranças sejam minimizadas, além de fazer com que as pessoas busquem o serviço de saúde o quanto antes, evitando possíveis agravamentos do quadro. 2

Doenças cardiovasculares

O termo "doenças cardiovasculares" é utilizado para englobar um grupo composto por diferentes patologias crônicas que, apesar de terem suas particularidades, envolvem o sistema cardiocirculatório, tendo como principais exemplos insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio, embolia pulmonar, trombose venosa profunda e aterosclerose. 3

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), as doenças cardiovasculares são relatadas como as principais causas de mortes nas Américas, sendo também as responsáveis por altas taxas de internações nos hospitais, gerando assim altos custos para diversos segmentos da saúde pública. 1,4

É importante ressaltar que essas doenças possuem alguns fatores de risco predominantes envolvidos com em seu desenvolvimento, como hipertensão arterial sistêmica, Diabetes Mellitus, dislipidemia, tabagismo e alcoolismo. 3, 5 

Para entendermos um pouco mais sobre a dimensão dos problemas que essas patologias podem causar, no ano de 2021 foi estimado que os óbitos causados pelas doenças cardiovasculares chegaram em torno de 2 milhões nas Américas. Já no Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), no ano de 2023, até o final de fevereiro já foram registrados cerca de 64.800 óbitos por doenças cardiovasculares. 6

Devido à alta incidência e prevalência das doenças cardiovasculares presente por todo o mundo, se fez necessário o investimento em novas tecnologias, visando não só melhorar as técnicas terapêuticas, mas também o aprimoramento das técnicas de diagnóstico, permitindo assim obter resultados mais eficazes no cenário geral do tratamento, garantindo um maior controle dessas doenças. 1

A forma mais utilizada para o diagnóstico de doença arterial coronária é o cateterismo cardíaco, pois ele possibilita confirmar se há manifestações que podem levar ao desenvolvimento ou agravamento dessa doença, por exemplo, a presença de obstruções nas artérias coronárias, infarto agudo do miocárdio e até quadros de angina estável ou instável. 5

O que é e para que serve o cateterismo?

O cateterismo cardíaco, que também recebe o nome de angiografia coronária, como mencionado anteriormente, é o exame padrão realizado por uma equipe multiprofissional na sala de hemodinâmica, tendo como intuito obter um diagnóstico assertivo em pacientes portadores de doenças cardiovasculares.2 Esse diagnóstico é auxiliado junto a história clínica e os sinais e sintomas que o paciente em questão apresenta. Após a sua realização, é possível planejar qual a melhor conduta terapêutica a ser realizada visando a saúde e o bem-estar do paciente.1, 7

Por se tratar de um procedimento invasivo, o cateterismo é realizado sob o efeito de anestesia, sendo ele capaz de detectar e avaliar como está o funcionamento das veias e artérias do coração, constatando se realmente há alguma obstrução, e também em qual local ela se encontra.7

Isso só é possível devido a inserção de um cateter nas artérias do coração, equipamento utilizado e que dá nome ao exame. É através desse cateter que o contraste é injetado nas artérias coronárias, o que possibilita a marcação e identificação de possíveis pontos de obstrução. Além disso, algumas vezes pode ser realizada a desobstrução dos pontos com o auxílio de um balão, sendo em seguida implantado um stent, que irá permitir que o fluxo sanguíneo normal.3

Em alguns casos mais graves, o exame deixa de ser apenas um diagnóstico e passa ser necessário uma intervenção para iniciar um tratamento, que recebe o nome de angioplastia coronária. 1

Como o cateterismo é realizado?

Antes da realização do cateterismo propriamente dito, é importante ressaltar que são necessários cuidados antes, durante e depois do procedimento. Primeiro, o paciente precisa passar por um processo de preparação. 7

O cateterismo tem em média uma duração de 30 minutos, sendo imprescindível que os profissionais ajudem e auxiliem na preparação psicológica do paciente afim de diminuir o nervosismo e a ansiedade.8

Para a realização do cateterismo é preciso uma equipe com diferentes profissionais, dentre eles médicos cardiologistas, enfermeiros e técnicos. O primeiro passo é a aplicação da anestesia local no paciente, ou seja, ele ficará acordado durante todo o procedimento. Na sequência é iniciada a punção das artérias por acesso braquial, radial ou femoral, através do cateter que foi introduzido, junto a isso são aplicadas as injeções de contraste. Com isso, é possível analisar no momento do diagnóstico as imagens que são formadas através da projeção das artérias coronárias, avaliando as condições gerais do quadro clínico. 7,8

Existem duas formas de prosseguir com o exame, um utilizando o cateter com um balão   em sua extremidade, que será o responsável por comprimir a placa de gordura presente nas artérias, ou utilizar o cateter com prótese de metal, sendo o mais conhecido recebendo o nome de stent, que será responsável pela compressão da placa de gordura para que o fluxo sanguíneo no local vote a ser normal. 8

Após a finalização da parte prática do procedimento, o paciente precisa ficar em repouso total sendo observado pela equipe de enfermagem na sala de recuperação, para certificar que não ocorram problemas ou instabilidades.2,8 Assim como todo procedimento, existem chances de reações negativas, como sangramento, infecção do local, lesão nos vasos sanguíneos, reação alérgica por conta do contraste, arritmias, tromboembolismo e pressão arterial alterada, por isso, é essencial que o paciente seja assistido por um tempo, monitorando esses sinais e impedindo o agravamento deles. 7,9

Fiz o cateterismo, e agora?

Fique tranquilo e mantenha a calma! Apesar de ser um processo invasivo, a realização do cateterismo é segura. A técnica vem sendo estudada ao longo dos anos, passando por aprimoramentos tecnológicos e científicos, sendo considerado padrão ouro dentro do diagnóstico da doença arterial coronariana.10 Mesmo assim é importante se atentar as orientações do seu médico cardiologista não só antes, mas após o procedimento, para que a recuperação seja a mais rápida possível e não haja complicações no quadro.

Após o exame é necessário seguir as orientações do seu médico para que não haja nenhuma intercorrência.9

 

Referências:

1.       TEIXEIRA, T.R.F.; AVILA, M.A.G.; BRAGA, E.M. Compreensão de pacientes às orientações de enfermagem no cateterismo cardíaco: uma pesquisa qualitativa [Periódico da internet]. Acesso em: 26 de janeiro de 2023. Disponível em: https://core.ac.uk/reader/328057360

 

2.       Alba, B.S.M.; Barros, L.BL.; Lopes, J.L.; Elaboração e validação de um manual informativo sobre cateterismo cardíaco. [Periódico da internet]. Acesso em: 27 de janeiro de 2023. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ape/a/HYhbrnYKdYFccdmTyTHHqSz/?lang=pt

 

3.       ALENCAR, J.L.; SILVA, L.V.M.; MACIAS, B.S.G.; CRAVO, D.D.S.; SANTOS, L.P.; FERREIRA, J,S.; SILVA, BELÉM, J.C.S.; SILVA, P.H.V.; FERREIRA, A.L.S.; SARDINHA, M.D. Uma revisão integrativa dos diagnósticos de enfermagem mais evidenciados no cateterismo cardíaco [Periódico internet]. Acesso em: 26 de janeiro de 2023. Disponível em: https://acervomais.com.br/index.php/enfermagem/article/view/8948/5522

 

4.       Organização Mundial as Saúde. Doenças cardiovasculares continuam sendo principal causa de morte nas Américas. [Homepage da internet]. Acesso em: 26 de fevereiro de 2023. Disponível em: https://www.paho.org/pt/noticias/29-9-2021-doencas-cardiovasculares-continuam-sendo-principal-causa-morte-nas-americas

 

5.       SOUSA, S.M.; BERNARDINO, E. VICELLI, R,M,M. KALINOWSKI, C.E. Perfil de pacientes submetidos ao cateterismo cardíaco: subsídio para prevenção de fatores de risco cardiovascular. [Periódico da internet]. Acesso em: 27 de janeiro de 2023. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/4836/483647661014.pdf

 

6.       SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Cardiômetro. Acesso em: 27 de fevereiro de 2023. Disponível em: http://www.cardiometro.com.br/

 

7.       MESQUITA, R.F.S.; ADRIAO, I.S.; LEITE, C.L. A importância da assistência de enfermagem no cateterismo cardíaco: uma revisão de literatura. [Periódico da internet]. Acesso em: 28 de janeiro de 2023. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/23678/20634

 

8.       Barros, L.M. Construção de cartilha educativa para orientação de pacientes sobre o cateterismo cardíaco. [Periódico da internet]. Acesso em: 27 de janeiro de 2023. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/215716

 

9.       MOREIRA, M.L.A.P; MIZUNO, E; MEIRELES, G.C.X; Consulta de enfermagem pré-cateterismo cardíaco e intervenções coronárias percutâneas. [Periódico da internet]. Acesso em: 30 de janeiro de 2023. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/fr/biblio-1032484

 

10.   PANIAGO, C.C.R; Cuidados de enfermagem pré cateterismo cardíaco e pós cateterismo cardíaco: uma revisão integrativa. Acesso em: 29 de janeiro de 2023. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21966

 

Material para todos os públicos.
LIPI-2023-0113 - Março/2023