Leitura

O peso da pandemia na saúde mental dos idosos

Do ponto de vista da saúde mental, a pandemia trouxe muitos alertas para os idosos. Por fazer parte do grupo mais suscetível a quadros graves da doença, eles apresentam mais taxas de mortalidade: a maioria das mortes e´ entre idosos com duas ou mais enfermidades, como doenças cardiovasculares e diabetes.1

 

No Brasil, 64,9% da população entre 65 e 84 anos e 80% da população acima de 85 anos2 apresentam duas ou mais condições crônicas de saúde. Com isso, temos, na prática, uma multidão correndo o maior risco, o que faz com que vivam sob constante temor.

 

A sensação de risco à vida se soma à distância dos familiares por conta do distanciamento físico, o que causa impacto na saúde física e na emocional. Além dos já mencionados riscos da Covid-19 para os idosos, temos também um aumento de doenças vasculares e neurológicas associado ao isolamento e à solidão, com elevação do risco de morte prematura3 e aumento de risco de desenvolvimento da deme^ncia e aceleração da progressão da doenc¸a de Alzheimer.4

 

Um ponto importante a observar também é o consumo de álcool por idosos. Esse hábito, quando feito sem moderação, pode ser sinal de algum nível de ansiedade ou depressão.

 

Como evitar que a pandemia eleve ainda mais o estresse e coloque em risco a saúde mental dos idosos? Uma medida simples pode fazer toda a diferença: trocar o termo "distanciamento social" por "distanciamento espacial". Segundo especialistas, isso pode ajudar a aplacar o sentimento de solidão sentido pelos idosos,5 uma vez que a mudança deixa claro que a distância é apenas física, mas que nossos pensamentos estão com eles. É importante que esse tipo de medida seja acompanhado de uma "proximidade digital" consistente, mediante o uso das tecnologias, como redes sociais (para aqueles que têm) e chamadas por vídeo.

 

A saúde mental é de extrema importância para todos e, nesse momento delicado, deve ter ainda mais espaço em nossos cuidados pessoais. Se você, seus pais ou parentes mais idosos sentem o peso da pandemia na saúde mental, o melhor a fazer é procurar ajuda médica para recuperar o bem-estar o mais rápido possível.

 

Para obter mais dicas consulte o "Guia de Saúde Mental Pós-Pandemia no Brasil", Confira aqui!

 

Se cuidem!

 

Referências bibliográficas

1.     Bencivenga L, Rengo G, Varricchi G. Elderly at time of CoronaVIrus disease 2019 (COVID-19): possible role of immunosenescence and malnutrition. GeroScience. 2020 Jun 23;42(4):1089-92.

2.     Divo MJ, Martinez CH, Mannino DM. Ageing and the epidemiology of multimorbidity. Eur Respir J. 2014 Aug 20;44(4):1055-68.

3.     World Health Organization (WHO). World report on ageing and health 2015 [Internet]. 2016 - [cited 2020 May 9]. Genebra: WHO. Available from: http://www.who.int/ageing/events/world-report-2015-launch/en/.

4.     Friedler B, Crapser J, McCullough L. One is the deadliest number: the detrimental effects of social isolation on cerebrovascular diseases and cognition. Acta Neuropathol. 2015 Apr;129(4):493-509. doi: 10.1007/s00401-014- 1377-9.

5.     Abel TM. The COVID-19 pandemic calls for spatial distancing and social closeness: not for social distancing! Int J Public Health. 2020 Mar 31;65(3):231.


PP-ZOL-BRA-0139 - Junho/2021