Leitura

Glaucoma de ângulo aberto: o que é, sintomas e tratamento

O Glaucoma é uma doença que afeta o nervo óptico e é, normalmente, associada ao aumento da pressão dentro do olho (pressão intraocular). Claro que existem exceções e pessoas com pressão intraocular normal também pode acabar desenvolvendo glaucoma. [1]

Existem diferentes tipos de glaucoma, mas vamos conhecer mais detalhes sobre o glaucoma de ângulo aberto e entender melhor como ele aparece, seus sintomas e como funciona o tratamento.


Glaucoma de ângulo aberto

No glaucoma de ângulo aberto, os canais de drenagem dos olhos vão sendo obstruídos com o tempo. Ele é chamado de "aberto" porque os canais não estão visivelmente bloqueados, mas ainda assim a drenagem através deles é insuficiente. Isso vai aumentando lentamente a pressão ocular [1]. Esse tipo de glaucoma é indolor e, geralmente, os dois olhos acabam sendo afetados, mas nem sempre da mesma forma. [1]

O principal sintoma é o desenvolvimento que pode gerar pontos cegos ou manchas na visão e isso ocorre ao longo de meses ou até anos [1]. Os pontos cegos crescem lentamente e se fundem, causando a perda da visão periférica. Os principais sintomas são [1]:

  • comece a tropeçar em degraus;
  • não consiga ver partes de palavras quando ler;
  • ter dificuldades para dirigir.

A visão vai desaparecendo de forma lenta, por isso, muitas vezes o glaucoma não é percebido até que já esteja avançado. Normalmente, como a visão central é a última a ser perdida, muitas pessoas desenvolvem visão de túnel: enxergam perfeitamente o que está à sua frente, mas ficam cegos em todas as outras direções [1].

Para entender como o glaucoma afeta o olho, precisamos entender que os olhos têm milhões de fibras nervosas que saem da retina para formar o nervo óptico, que se encontram no disco óptico [2].

Na maioria dos tipos de glaucoma, o sistema de drenagem do olho fica obstruído de forma que o fluido intraocular não pode ser drenado. Conforme o fluido aumenta a pressão do olho também aumenta, o que pode danificar essas fibras nervosas sensíveis e resultar em perda de visão [2].

À medida que as fibras são danificadas e perdidas, o disco óptico começa a se tornar oco e desenvolver uma forma de concha. Os médicos podem identificar essa forma de ventosa em seus exames [2].


Suspeita de glaucoma

Existem pessoas que são consideradas "Suspeitas de Glaucoma", afinal que quer dizer isso? Existem indivíduos que são portadores de algumas características consideradas que aumentam risco de desenvolvimento do glaucoma. Algumas dessas características são:

  • escavação de disco aumentada;
  • escavação assimétrica;
  • defeito na rima do nervo;
  • hemorragia de disco;
  • perda localizada de fibras nervosas;
  • anormalidades de campo visual sugestivas de glaucoma;
  • pressão intraocular maior que 22mmHg.

Por isso pacientes que apresentam algumas essas alterações são classificados com "suspeita de glaucoma" e apresentam maior risco para desenvolver glaucoma primário de ângulo aberto.

Os suspeitos de glaucoma têm fatores de risco para glaucoma, mas ainda não foi identificado nenhum dano no nervo óptico. A maioria dos suspeitos nunca desenvolverá glaucoma, mas é muito importante sempre prevenir [3].

Os suspeitos de glaucoma podem apresentar pressão ocular acima da média, mas sem danos ao nervo óptico e são chamados de hipertensos oculares. Um grande estudo de ensaio clínico descobriu que os hipertensos oculares desenvolvem glaucoma verdadeiro a uma taxa de cerca de 2% ao ano e que a taxa era apenas a metade da velocidade se fossem administrados colírios para diminuir a pressão ocular [3].

Alguns fatores de risco para os suspeitos de glaucoma são [3,4]:

  • Idade;
  • Possivelmente se for diabético;
  • Ser míope;
  • Ter condições chamadas de esfoliação ou dispersão de pigmento;
  • Ter doenças cardiovasculares;
  • Ter um parente com glaucoma;
  • Ter uma córnea fina.

Tratados ou não, os suspeitos de glaucoma precisam de monitoramento detalhado de seu nervo óptico e campo visual todos os anos [2]. Se o glaucoma for detectado quando os sinais são muito precoces e o tratamento for iniciado nessa altura, o risco de desenvolver uma perda visual grave é muito pequeno [3].


Prevenção e tratamento

No glaucoma de ângulo aberto, o ângulo do olho onde a íris encontra a córnea é tão amplo e aberto como deveria ser, mas os canais de drenagem do olho ficam obstruídos com o tempo, causando um aumento na pressão interna do olho e subsequente dano à nervo óptico [4].

Exatamente pelo fato de o glaucoma ser uma doença silenciosa e só apresentar sintomas de alerta quando já está em uma situação mais grave, é sempre importante manter frequente suas consultas a um médico para exames regulares de prevenção [3].

Se o risco de glaucoma for detectado durante um exame oftalmológico, seu oftalmologista pode prescrever um tratamento preventivo para ajudar a proteger sua visão contra os danos [4].

O tratamento de glaucoma é feito com fármacos de uso tópico (análogos da prostaglandina e betabloqueadores), colírios e, dependendo do caso, cirurgia a laser ou incisional para aumentar a drenagem do humor aquoso [5].

Cuidar da sua visão é um passo importante para evitar o glaucoma, por isso é sempre importante você manter suas consultas frequentes ao oftalmologista. O Programa Se Cuida quer ajudar você a entender melhor como funciona essa doença e como você pode notar a presença dela.

Fique sempre por dentro de tudo sobre o glaucoma com o nosso blog. Temos conteúdos exclusivos para você saber ainda mais sobre essa e outras comorbidades.


Referências:

 

PP-PCU-BRA-0848-OUT/2021