Leitura

Exercícios físicos e a insuficiência cardíaca: um guia


Para aqueles que enfrentam o desafio da insuficiência cardíaca, se envolver em atividades físicas pode parecer intimidante. Afinal, como lidar com a necessidade de cuidado enquanto se busca fortalecer o corpo?   

Bem-vindo ao guia definitivo sobre como encarar os exercícios físicos quando se convive com insuficiência cardíaca. Aqui, desmistificamos alguns conceitos e fornecemos um mapa prático para melhorar sua qualidade de vida através da atividade física, mas é claro que você sempre deve estar alinhado com seu médico.   

Vamos lá? 

 

O primeiro passo: avaliação criteriosa   

Antes de mergulhar nos exercícios, é crucial iniciar com uma avaliação médica minuciosa, principalmente para quem passou por um infarto. Pessoas com diagnóstico de insuficiência cardíaca devem passar por uma avaliação clínica fisiológica e metabólica, orientada por profissionais de saúde. Essa análise considera: ¹

·      Condição de saúde;

·      Comorbidades existentes;

·      Histórico de atividade física; 

·      Preferências pessoais. 

Dessa forma, um plano individualizado é criado, ajustado às necessidades de cada indivíduo. ¹

 

Atividades aeróbicas e de força   

Para aqueles avaliados nas classes funcionais II a III (NYHA), a atividade física pode ser uma aliada. Segundo as recomendações, atividades aeróbicas e de força são apropriadas para melhorar a capacidade funcional e, consequentemente, a qualidade de vida. ¹  

Mas é essencial começar devagar. Tanto a intensidade quanto o tempo de prática devem ser gradualmente aumentados, para permitir uma adaptação segura do corpo. É importante destacar que se houver sintomas como tonturas ou piora na respiração, a atividade física deve ser interrompida. ¹

 

Supervisão é a chave

  Para aqueles com classe funcional III ou com comorbidades graves, a supervisão durante as atividades é crucial. A presença de arritmias não controladas, insuficiência cardíaca descompensada e casos graves (classe funcional grau IV) requerem atenção especial. A prática de atividades físicas é uma busca pelo bem-estar, mas também deve ser pautada na segurança e na compreensão do próprio corpo e nunca devemos começar a nos exercitar sem orientação médica. ¹

 Abraçando a variedade: atividades para todos os momentos

  A vida é uma combinação de papéis e momentos, e a prática de atividades físicas pode estar inserida em todos eles. É recomendado pelo menos 150 minutos de atividades físicas por semana. Isso pode incluir atividades aeróbicas como: ¹

·      Caminhada;

·      Corrida;

·      Natação;

·      Ciclismo;

·      Exercícios de fortalecimento muscular;

·      Alongamentos. 

A intensidade varia de leve a vigorosa, de acordo com a capacidade individual e recomendação médica. ¹

 

Benefícios da prática regular

Você pode estar se perguntando: qual é a intensidade certa para mim? O segredo está em ouvir seu médico e sempre estar atendo aos sinais do seu corpo. É preciso começar devagar, principalmente se você não era ativo antes do diagnóstico. 1,2

 A prescrição de exercícios deve ser feita de maneira gradual e individualizada. Pacientes com insuficiência cardíaca podem se envolver em exercícios cardiovasculares e de resistência, mas a intensidade e a duração devem ser adaptadas à condição do paciente. 2,3

A jornada de exercícios pode ser variada, com caminhadas diárias, incorporando-as à sua rotina. Se você já tem uma rotina de caminhadas, considere explorar outras atividades como ciclismo ou natação. O importante é encontrar um equilíbrio entre o desafio e a segurança e sempre seguir o que seu médico orientou. 2

 

Cuidados a se tomar antes e durante os exercícios físicos

Comece com a preparação, evite praticar exercícios após uma refeição pesada ou se estiver em jejum há muito tempo, visando a segurança durante a atividade. 2,3

Durante a prática de exercícios, preste atenção aos sinais do seu corpo. Se você sentir falta de ar, tonturas, dores no peito, náuseas ou suores frios, pare imediatamente e busque assistência médica. 2,3 

O exercício deve ser uma experiência positiva e segura, sendo crucial entender os limites do seu corpo. 2,3

 

Exercícios combinados     

A estrutura de uma sessão exercícios quase sempre inclui: 4

·      Um período de aquecimento;

·      Exercícios aeróbicos;

·      Exercícios de fortalecimento muscular;

·      Período de relaxamento. 

 A diversidade de atividades ajuda a trabalhar diferentes grupos musculares e a promover um equilíbrio entre esforço e recuperação. Os benefícios incluem a melhora da capacidade funcional, redução da pressão arterial, fortalecimento muscular e promoção do bem-estar psicológico. 4

Alguns estudos comprovaram que exercícios combinados, aeróbicos e musculares, melhorou significativamente a capacidade funcional e a força muscular de pacientes com insuficiência cardíaca. 5

Os resultados mostraram que um programa consistente de atividades físicas pode promover melhorias físicas e musculares, restaurando a capacidade de realizar esforços de maneira mais tolerável. 5

 

Qualidade sobre quantidade

Um estudo conduzido com quase 90 mil pessoas revelou que a concentração da atividade física em 1 a 2 dias por semana também pode trazer benefícios cardiovasculares. Isso significa que, mesmo que você não possa se exercitar todos os dias, ainda pode colher os frutos de uma prática concentrada. 6

A chave está em encontrar um equilíbrio que funcione para você e que seja sustentável no longo prazo. Converse com seu médico sobre seus horários e como encaixar atividade física da melhor forma na sua rotina. 6

Seu coração merece cuidado

A insuficiência cardíaca pode ser um desafio, mas não é um obstáculo intransponível. Com uma abordagem orientada por um profissional, a diversidade de atividades e a compreensão dos limites do seu corpo, você pode se beneficiar significativamente da prática de exercícios físicos.   

Lembre-se sempre de buscar orientação médica antes de iniciar qualquer programa de atividade física, e esteja atento aos sinais que seu corpo lhe dá. Com determinação, conhecimento e o apoio certo, você pode melhorar sua qualidade de vida e fortalecer seu coração, passo a passo.   

O Se Cuida está aqui para te apoiar nessa jornada de bem-estar. 

Leia também: Entenda os sintomas de insuficiência cardíaca  

 

Referências:   

Ministério da Saúde - Planejamento Terapêutico - Insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida (ICFEr). Disponível em: https://linhasdecuidado.saude.gov.br/portal/insuficiencia-cardiaca-(IC)-no-adulto/unidade-de-atencao-primaria/planejamento-terapeutico-ejecao-reduzida/ Acesso em 29/08/2023

Heart Failure Matters - Atividade e Exercício Físico. Disponível em: https://www.heartfailurematters.org/pt-br/viver-com-insuficiencia-cardiaca/atividade-e-exercicio-fisico/#:~:text=A%20atividade%20f%C3%ADsica%20ligeira%20%C3%A9,sentir%2Dse%20melhor%20em%20geral.   Acesso em 29/08/2023

Pessoas com doenças cardíacas devem praticar exercícios físicos? Opinião de especialista da Mayo Clinic Healthcare. Disponível em: https://newsnetwork.mayoclinic.org/pt/2021/11/10/pessoas-com-doencas-cardiacas-devem-praticar-exercicios-fisicos-opiniao-de-especialista-da-mayo-clinic-healthcare/    Acesso em 29/08/2023

Sociedade Brasileira de Cardiologia. Como prescrever exercício na insuficiência cardíaca. Disponível em: http://educacao.cardiol.br/congresso/lv/noticias/042.asp    

Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo - Exercício Físico Combinado Melhora Condições de Pacientes com Insuficiência Cardíaca. Disponível em: https://socesp.org.br/sala-de-imprensa/press-release/exercicio-fisico-combinado-melhora-condicoes-de-pacientes-com-insuficiencia-cardiaca/ Acesso em 29/08/2023

JAMA Network - Concentração da Atividade Física e Riscos Cardiovasculares. Disponível em https://jamanetwork.com/journals/jama/article-abstract/2807286   Acesso em 29/08/2023

 

Material destinado a todos os públicos

INSP-2023-0287 - Outubro/2023