Leitura

Como as fases da vida da mulher impactam na saúde mental?

Cada fase da mulher traz desafios diferentes, exigindo um olhar atento à saúde mental. Isso envolve perceber os impactos psicológicos e emocionais e buscar soluções para manter a mente saudável. Nesse processo é fundamental contar com o apoio da família, amigos e ajuda de médicos especializados.

Segundo a OMS, o número de mulheres diagnosticadas com depressão é maior do que os homens com esse diagnóstico. ¹

A depressão pode ser motivada por diversas questões como: sociais, psicológicas e biológicas, podendo ou não estar relacionada a algum trauma. Outro reflexo é o maior nível de estresse que pode comprometer a vida pessoal e os relacionamentos da pessoa.¹

Os índices de depressão no Brasil são de 14% para mulheres e ainda existem outros distúrbios, como a ansiedade. ²

Se você está em busca de dicas para ter qualidade de vida, continue a leitura.

 

Quais são os fatores que influenciam a saúde mental das mulheres?

No dia a dia, os fatores que afetam a saúde mental são a capacidade de administrar os pensamentos, o estresse, as condições de trabalho e as interações entre as pessoas.³ Os desafios mudam ao longo da vida. Por isso, é importante observar a si mesmo e as situações para manter a saúde em dia.

Uma das etapas do processo de observação é revisitar a sua história. Muitas transformações aparecem no período da adolescência. Existem casos em que ainda nesta fase se inicia a depressão, estando essa doença entre uma das principais que afetam adolescentes de todo o mundo, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).4

A gestação na adolescência e a gravidez não planejada também são situações em que - havendo conflitos internos e com a família - podem levar ao desenvolvimento de doenças mentais que, se não tratadas, podem continuar. 5

Na vida adulta, novos dilemas aparecem com a conciliação entre os estudos, o autocuidado, a família e os deveres de casa. Algumas mulheres apresentam estresse, sentimento de tristeza e sonolência. Sintomas que devem ser analisados para verificar se é necessário cuidados médicos. ¹

Depois, na menopausa, a mulher passa por transformações significativas no seu corpo, acompanhadas de uma queda na produção de hormônios.6 Essas mudanças geram alterações emocionais e impactos na saúde da mente. É uma fase que exige autoaceitação e acompanhamento médico para reposição hormonal.

É, também, uma etapa em que as relações com as pessoas são fundamentais para fortalecer a saúde mental. 6 Caso a sensação de solidão e tristeza sejam muito recorrentes, é importante buscar apoio de psicólogos para melhorar a qualidade de vida.

 

Quais são os desafios das mulheres?

Existem desafios enfrentados em todas as áreas e que envolvem as fases da mulher e saúde mental. Entre as questões desafiadoras estão:

 

Cobrança com a autoimagem

Um ponto que pode acompanhar todas as fases da vida da mulher e afetar sua saúde mental é a busca pela eterna juventude ligada à ideia de ter um corpo perfeito de acordo com os padrões sociais. 7

Uma das consequências dessa busca por validação é o alto nível de vaidade física e o aumento do consumo de produtos estéticos. 8

No geral, a boa autoestima está relacionada à saúde, à felicidade e ao bem-estar e isso tudo auxilia no processo de adaptação ao envelhecimento e seus desafios. 9

 

Excesso de trabalho

Já faz parte do dia a dia a ideia de que a mulher cumpre tarefas do trabalho e dentro de casa. E a alta sobrecarga de atividades domésticas contribui para o desenvolvimento de Transtornos Mentais Comuns (TMC).10

A mulher precisa adequar o emprego às outras funções, como as responsabilidades domésticas e familiares. E fatores do ciclo da vida, como idade, situação com seu parceiro ou parceira e filhos, aliado ao alto volume de trabalho não remunerado feito pelas mulheres e às questões emocionais, podem intensificar o sofrimento psíquico entre a população feminina.¹¹

Os sintomas mais comuns são irritabilidade, fadiga, esquecimento, dificuldade de concentração, dores de cabeça e insônia.10

Existem mulheres que também passam por discriminação ao se afastarem dos serviços por causa da maternidade, período de licença maternidade ou para tratar de doenças físicas ou mentais.11

 

Dicas para cuidar da saúde mental

Se está em busca de cuidados para manter a saúde mental em dia, vale conferir algumas dicas para colocar na sua rotina. São elas:

 

Construa relacionamentos

É muito importante estar ao lado de pessoas que possam te dar apoio emocional e construir relacionamentos. Sair com amigos e falar sobre os seus sentimentos contribui para esse cenário. Afinal, ter uma rede de apoio ajuda na recuperação e prevenção dos problemas de saúde da mente.12

 

Tenha uma boa alimentação

A dieta balanceada deixa o seu corpo com equilíbrio de nutrientes e favorece a boa saúde mental, ajudando a evitar a ansiedade, depressão e bulimia. Cada vez mais pesquisadores da nutrição e psicologia estudam os impactos dos alimentos no cérebro e emoções a partir de comidas pouco saudáveis e as altamente nutritivas, em prol de melhorias para a saúde.13

 

Administre seu tempo

A forma como administra o seu tempo tem de ter espaço para pausas. A dificuldade na conciliação das diferentes áreas da vida ainda ocorre. Logo, ao estabelecer rotinas e respeitar os limites do seu corpo, suas atividades tendem a render mais.

Um estudo realizado na Bahia apontou que 45,6% das mulheres com alta sobrecarga doméstica apresentaram prevalência de Transtornos Mentais Comuns mais elevada do que as mulheres com baixa sobrecarga, que registrou 36,2%. Assim, procure estratégias para administrar melhor as tarefas. 10

Uma técnica aplicada para a produtividade é a Pomodoro, que separa um tempo com foco total no trabalho e um intervalo. Você pode adotar 50 minutos de trabalho e outros 10 para descanso.

É fato que existem muitos outros fatores e desafios que impactam todas as fases da mulher e sua saúde mental. Apesar dos transtornos mentais serem um problema social, é preciso muito mais empenho de toda a sociedade no trabalho de prevenção a essas doenças. Sem esse esforço coletivo, o quadro além de não ter melhoras, pode se agravar.

As ações devem ser direcionadas para romper o forte comportamento das mulheres de sofrerem sozinhas. E, por isso, cada vez mais tem se falado sobre a importância da saúde da mente.

É fundamental que as mulheres busquem ajuda quando sentem sintomas de depressão e outros transtornos mentais. Também é crucial que as pessoas ao seu redor sejam proativas na procura de apoio, seja na rede pública ou privada, junto a profissionais da saúde mental.

Vale destacar que o artigo não desconsidera ou exclui pessoas com diferentes identidades de gênero e suas experiências.

Você pode continuar se atualizando sobre conteúdos desse tipo no Blog da Saúde.

 

Referências

¹ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Depressão.  Disponível em:  https://www.paho.org/pt/topicos/depressao. Acesso em: 04 set. 2023.

 

²MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL. Vigitel Brasil 2021: Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. 2022. Disponível em:  https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/svsa/vigitel/vigitel-brasil-2021-estimativas-sobre-frequencia-e-distribuicao-sociodemografica-de-fatores-de-risco-e-protecao-para-doencas-cronicas/view. Acesso em: 04 set. 2023.

 

³ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Transtornos mentais. Disponível em:  https://www.paho.org/pt/topicos/transtornos-mentais. Acesso em: 31 ago. 2023.

 

4ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE (OPAS). Saúde Mental dos Adolescentes. Disponível em:  https://www.paho.org/pt/topicos/saude-mental-dos-adolescentes. Acesso em 31 ago. 2023.

 

5FUNDO DE POPULAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (UNFPA). Apesar da redução dos índices de gravidez na adolescência, Brasil tem cerca de 19 mil nascimentos, ao ano, de mães entre 10 a 14 anos. 2021. Disponível em:

https://brazil.unfpa.org/pt-br/news/apesar-da-redu%C3%A7%C3%A3o-dos-%C3%ADndices-de-gravidez-na-adolesc%C3%AAncia-brasil-tem-cerca-de-19-mil . Acesso em: 31 ago. 2023.

 

6TRAN, T., HAMMARBERG, K., RYAN, J., LOWTHIAN, J., FREAK-POLI, R., OWEN, A., KIRKMAN, M., CURTIS, A., ROWE, H., BROWN, H., WARD, S., BRITT, C. e FISHER, J. Mental health trajectories among women in Australia as they age. Aging & Mental Health. 2019. Volume 23:7. P 887-896. DOI: 10.1080/13607863.2018.1474445. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/13607863.2018.1474445?journalCode=camh20. Acesso em: 31 ago. 2023.

 

7VALENÇA, C. N., NASCIMENTO, J. M., FILHO e GERMANO, R. M. Mulher no climatério: reflexões sobre desejo sexual, beleza e feminilidade. 2010. Saúde e Sociedade, 19(2), 273-285.

 

8AVELAR, C. F. P. & VEIGA, R. T. Como entender a vaidade feminina utilizando a autoestima e a personalidade. 2013. Revista de Administração de Empresas, 53(4), 338-349.

 

9FERREIRA, C. L., SANTOS, L. M. O. & MAIA, E. M. C. Resiliência em idosos atendidos na Rede de Atenção Básica de Saúde em município do nordeste brasileiro. 2012. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 46(2), 328-334.

 

10PINHO, P. S & ARAÚJO, T. M. Associação entre sobrecarga doméstica e transtornos mentais comuns em mulheres. 2010. Universidade Federal do Recôncavo da Bahia e Universidade Estadual de Feira de Santana (respectivamente). Bahia, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-790X2012000300010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/dxHcftTBL5b8P5YcXmwFwGG/?lang=pt.

Acesso em: 04 set. 2023.

 

11INSTITUTO CACTUS. 8 dados sobre a saúde mental das mulheres. 2022. Disponível em:  https://institutocactus.org.br/8-dados-sobre-a-saude-mental-das-mulheres/. Acesso em: 31 ago. 2023.

 

12CARMONA, C. G. H., & MELO, N. A. Comunicacion interpersonal: Programa de Entrenamiento en Habilidades Sociales. 2000. Santiago, Chile: Ediciones Universidad Católica de Chile.

 

13PUCRS ONLINE. Alimentação e saúde mental: qual a relação?. PUCRS ONLINE. 2021. Disponível em:  https://online.pucrs.br/blog/public/alimentacao-e-saude-mental-qual-a-relacao. Acesso em: 31 ago. 2023.

 


Material destinado a todos os públicos.

NON-2023-8514 - Dezembro/2023