Leitura

Autocuidado e depressão

Cada dia mais, as pessoas têm falado sobre depressão, porém nem sempre da maneira correta. Algumas pessoas têm a visão equivocada de que a depressão é simplesmente uma tristeza, desânimo e angústia, o que dá a ideia de que basta ficar feliz e tudo estará resolvido. Não é bem assim.¹

Leia mais: Saúde Mental| Depressão

A depressão é um transtorno de humor crônico que precisa de tratamento. Segundo a estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS), já afeta cerca de 350 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais cerca de 11 milhões estão no Brasil.2,3

 

Tenho depressão. Quais medidas de autocuidado devo adotar?

 

Só quem tem depressão sabe o quanto é difícil ter forças para lutar contra os sintomas que vão desde baixa autoestima, irritabilidade e choro sem explicação até cansaço físico, dificuldade de concentração e perda de apetite. 4

Por isso, é tão importante que você tome algumas medidas de autocuidado, que vão auxiliar no combate a esses sintomas, proporcionando muito mais qualidade de vida e saúde mental. Vamos lá?

1.    Siga todas as orientações do seu médico

Ele é quem, de fato, vai direcionar qual a melhor forma de tratar o seu caso. Seja por tratamento medicamentoso, terapêutico ou a combinação dos dois, é importante que você siga as orientações do seu médico, sem interromper o tratamento.

Leia também: Remédios para depressão:como funcionam?

2.    Evite situações estressantes

O estresse dispara mudanças no seu organismo, e aumenta a probabilidade de você ficar doente, piorando problemas de saúde já existentes, entre eles, a depressão. Por isso é essencial que você evite situações que causem muito estresse. 5

3.    Pratique atividades físicas regularmente

Por meio da prática de exercícios físicos, você pode ter alguns ganhos psicológicos com relação a sua autoestima, humor, bem-estar psicológico, além de ganhos sociais, como interação e convivência. 6

4.    Tenha uma dieta equilibrada

Uma dieta adequada, que forneça os níveis necessários de minerais, ácidos graxos e vitaminas pode contribuir para diminuição dos sintomas depressivos, podendo até mesmo inibir as crises. 7

5.    Estabeleça uma rotina de sono adequada

O sono faz parte do nosso processo fisiológico, por isso, precisamos dormir para reparar a energia gasta em um dia todo de trabalho, por exemplo. A má qualidade de sono pode acarretar diversos problemas de saúde e agravar outros já existentes, entre eles, a depressão.

6.    Evite o consumo de álcool e outras drogas

O uso de álcool e outras drogas em pessoas que tenham transtorno bipolar ou depressão tendem a acarretar sérias consequências para a evolução da doença, sucesso do tratamento e manutenção do equilíbrio na vida. Por isso, tome cuidado com isso. 9

7.    Tenha momentos de lazer

Passear no parque ou no shopping, visitar parentes ou amigos, ir ao cinema ou ao restaurante são atividades de lazer que você pode incorporar na sua rotina e que vão ajudar a aliviar suas tensões e renovar suas energias. 10

 

O que fazer para ajudar uma pessoa com depressão?

 

O primeiro passo para ajudar uma pessoa com depressão é compreender que você não deve julgá-la. Ela não está assim por escolha e precisa de ajuda profissional. Quanto mais pessoas estiverem ao seu lado contribuindo para o seu tratamento, melhor. 11

Outra coisa importantíssima que você deve fazer é incentivar que a pessoa com depressão pratique atividades físicas e tenha momentos de lazer. Se necessário, acompanhe-a. Muitas vezes, ela só precisa de um estímulo para começar. 12

 

Material para todos os públicos.
EFEX-2022-0038-maio/2022

Referências

 

[1] FERREIRA, Rayanne Cordeiro; GONÇALVES, Charlisson Mendes; MENDES, Patrícia Guedes. Depressão: do transtorno ao sintoma. Portal dos Psicólogos, 2014. Disponível em: <https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0828.pdf> Acesso em: 01 abr. 2022.

[2] RUFINO, Sueli et al. Aspectos gerais, sintomas e diagnóstico da depressão. Revista Saúde em Foco - Edição nº 10 - Ano: 2018. Disponível em: <https://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2018/11/095_ASPECTOS-GERAIS-SINTOMAS-E-DIAGN%C3%93STICO-DA-DEPRESS%C3%83O.pdf> Acesso em: 01 abr. 2022.

[3] CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Depressão: vamos conversar? Por Marco Antônio Bessa. Publicação online em: Março/2018. Disponível em: < https://portal.cfm.org.br/artigos/depressao-vamos-conversar/#:~:text=%C3%89%20uma%20iniciativa%20que%20busca,que%20podem%20oferecer%20tratamento%20adequado.> Acesso em: 01 abr. 2022.