Leitura

Atividade física pós-infarto: saiba quais cuidados tomar

Ao sofrer um infarto, o paciente deve ficar na cama até o fim da sua recuperação, certo? Errado! No passado, recomendava-se que quem sofresse infarto não praticasse nenhum tipo de atividade física por três semanas, que seria tempo que o músculo do coração precisaria para se cicatrizar. No entanto, estudos dão conta que não é bem assim. É claro que o repouso é essencial, porém, para uma melhor recuperação, é necessário se mexer.


Quanto tempo devo ficar de repouso?

Isso depende do tipo de infarto, que pode ser espontâneo, do miocárdio, entre outros, e do procedimento realizado, como ponte de safena e angioplastia. Especialistas afirmam que o tempo de recuperação de quem se trata por medicamentos é diferente daqueles que se submeteram a uma cirurgia.

O tempo de recuperação pós-infarto é estimado em 30 dias, enquanto o repouso absoluto, entre 3 a 5 dias, devido ao risco de arritmia cardíaca e o aumento da área que foi infartada. Mas depois do período de repouso, já se pode começar o tratamento com fisioterapia e exercícios, mas, claro, isso depende do grau de sequela sofrida.

Por isso, é importante conversar com o seu médico para entender melhor o seu quadro e qual o tempo necessário para o repouso absoluto e o início dos tratamentos com fisioterapia.


Qual a relação entre o sedentarismo e o infarto?

Ficar na cama pode trazer vários problemas físicos como trombose, embolia pulmonar ou atrofia por perda de condicionamento físico. Um estudo da USP de 2010 mostrou que pacientes que tiveram um infarto e não fizeram exercícios físicos no processo de recuperação tiveram o risco de ter um ataque cardíaco, mesmo se recuperando. Já os pacientes que se exercitaram diminuíram este risco.

Segundo Amanda Gonzales, médica do hospital Sírio Libanês, os exercícios físicos ajudaram na capacidade funcional dos pacientes, até mesmo para as atividades diárias, como banho, locomoção e volta ao trabalho.

Mas é claro, tudo com cautela. Afinal, fazer exercícios físicos de maneira inadequada pode causar aumento excessivo de adrenalina no sangue, dos batimentos cardíacos e da pressão arterial, o que pode causar descompensações indesejadas.


Como posso começar a me exercitar?

Uma das indicações dos médicos é começar com a caminhada. Inicialmente, o recomendado é andar de 10 a 30 minutos por dia. Outras atividades recomendadas são:

  • regar e cuidar das plantas;
  • fazer compras;
  • carregar e arrumar as compras;
  • andar de bicicleta ergométrica no modo leve.

Mas vale ressaltar que, seja para a caminhada, ou para as outras atividades, é essencial buscar recomendação médica. Afinal, a avaliação profissional poderá medir, por meio de exames, o tipo e a frequência dos exercícios que o paciente pode fazer para não comprometer a sua saúde.

Lembrando que ninguém entende melhor sobre o seu quadro clínico do que seu médico. Converse com ele e tire todas as dúvidas para começar a se exercitar e ficar com a melhor qualidade de vida possível!


Referências


 

PP-PCU-BRA-0854-OUT/2021