Leitura

3 atividades complementares ao tratamento para dor reumática

Quem sofre com dores reumáticas está sempre procurando maneiras de aliviá-las, não é? Além de seguir as recomendações do seu médico, algumas atividades podem ser complementares ao tratamento, trazer benefícios para o seu bem estar e contribuir para o controle e alívio da dor.

Essa é uma questão super importante, principalmente porque trata-se de uma dor crônica, que exige tratamento e acompanhamento durante toda a vida. Veja algumas opções de atividades complementares que podem melhorar a eficácia desse tratamento:

Acupuntura

É provado cientificamente que a acupuntura funciona para as dores reumáticas. Indicada por muitos médicos, essa técnica envolve a estimulação de pontos pré-determinados do corpo com agulhas esterilizadas e é eficaz no alívio da dor, náuseas e da osteoartrose.

Massagem

As massagens terapêuticas são milenares e praticadas em culturas de todo o mundo. Essa técnica envolve a manipulação, aplicação de pressão, fricção ou movimentos de deslizamento entre os tecidos moles e a pele para promover a circulação, o relaxamento e aliviar a dor. O importante aqui é que o grau de pressão deve ser ajustado para não piorar a dor. Os muitos efeitos fisiológicos da massagem incluem a melhoria da função imunológica, a diminuição dos níveis de cortisol e adrenalina, e a melhoria das circulações sanguínea e linfática, além da sensação de relaxamento e bem-estar.

Yoga, meditação e terapias "mente - corpo"

As práticas mente-corpo ensinam a controlar e reduzir a dor, a ansiedade, a tensão e o medo. No yoga, meditação e outras técnicas, um especialista sugere alterações da percepção das sensações, dos pensamentos e dos comportamentos. Além disso, as técnicas de relaxamento, como o relaxamento muscular progressivo e a respiração profunda controlada, também são práticas mente-corpo que podem ajudar no alívio da dor.

Antes de começar qualquer uma dessas ou outras atividades complementares ao seu tratamento, consulte o seu médico. Outro ponto a se considerar é que a prática escolhida seja baseada em evidências científicas, garantindo que vai realmente agregar valor ao seu tratamento de dor reumática.

Referências:

Associação Internacional para o Estudo da Dor - "Guia para o Tratamento da Dor em Contextos de Poucos Recursos". Disponível em: https://www.sbmfc.org.br/wp-content/uploads/2019/03/Guia-para-o-Tratamento-da-Dor-em-Contextos-de-Poucos-Recursos.pdf. Acesso em 17/06/2020

Sociedade Brasileira de Reumatologia - "Tratamento Não Medicamentoso em Reumatologia Pediátrica". Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/orientacoes-ao-paciente/tratamento-nao-medicamentoso-em-reumatologia-pediatrica/. Acesso em 17/06/2020

Sociedade Paranaense de Reumatologia - "Reabilitação em reumatismo: a importância do exercício físico". Disponível em: https://reumatologiapr.com.br/reabilitacao-em-reumatismo-a-importancia-do-exercicio-fisico/. Acesso em 17/06/2020

PP-PCU-BRA-0307/ dezembro 2020